IJUI NEWS - Células-tronco ajudam no tratamento de crianças com autismo
Min: 15º
Max: 26º
Predomínio de Sol
logo ijui news
Rad mais novoRad mais novo
rad E

Células-tronco ajudam no tratamento de crianças com autismo

Redação Minha Vida

Matéria Publicada em: 25/01/2021

Uma pesquisa chinesa revelou que o transplante de células-tronco do cordão umbilical melhora alguns sintomas comportamentais de crianças com autismo. O estudo, publicado no Journal of Translational Medicine, reuniu 37 participantes de 3 a 12 anos, todos com o transtorno.

Eles foram divididos em três grupos: Grupo CBMNC, com 14 crianças que receberam transplante de células mononucleares do cordão umbilical e terapia de reabilitação. Grupo de combinação, com 9 participantes que receberam transplante de células mononucleares e células-tronco mesenquimais, ambas do cordão umbilical, e terapia de reabilitação. E grupo controle, com 14 crianças que receberam apenas terapia de reabilitação.

O tratamento durou, aproximadamente, um mês. Nesse período, foram feitas quatro infusões de células-tronco por meio de injeções intravenosas e intratecais uma vez por semana. O desempenho dos três grupos foi comparado 24 semanas após a terapia.

As crianças que fizeram terapia celular (grupos CBMNC e combinação) tiveram maior avanço quanto à consciência corporal, fala e hiperatividade - principalmente os que receberam células-tronco. Com isso, o estudo concluiu que o transplante de células-tronco encontradas no cordão umbilical pode ajudar no tratamento de autismo.

O efeito positivo acontece porque as células-tronco ajudam a equilibrar a desregulação imunológica e neural observada em pessoas que possuem o transtorno. O tratamento é uma grande promessa para o futuro dos medicamentos regenerativos.

Durante toda a pesquisa, não houve nenhum problema de segurança significativo relacionado ao tratamento, além de não apontar nenhum efeito adverso grave.

Tipos e sintomas de autismo

O transtorno do espectro autista é diagnosticado em diferentes graus de comprometimento e pode ser dividido em três tipos: Síndrome de Asperger, Transtorno Autista ou Autismo Clássico e Transtornos invasivos do desenvolvimento. Eles afetam, principalmente, a comunicação social, e apresentam comportamentos repetitivos e restritos.

A maioria dos pais de crianças com autismo suspeita que algo está errado antes dos 18 meses de idade e busca ajuda antes que elas atinjam dois anos.

Os principais sintomas apresentados pelas crianças com autismo são:

  • Ter visão, audição, tato, olfato ou paladar excessivamente sensíveis
  • Ter uma alteração emocional anormal quando há alguma mudança na rotina
  • Fazer movimentos corporais repetitivos
  • Demonstrar apego anormal aos objetos
  • Não poder iniciar ou manter uma conversa social
  • Comunicar-se com gestos em vez de palavras
  • Desenvolver a linguagem lentamente ou não desenvolvê-la
  • Baixa capacidade de atenção
  • Hiperatividade ou passividade
  • Comportamento agressivo com outras pessoas ou consigo.

Caso perceba alguns desses comportamentos com frequência, procure ajuda médica.

Redação Minha Vida - Original AQUI

Brito lateral 2020