IJUI NEWS - Estratégias Psicopedagógicas para cuidar estresse e ansiedade em crianças nas festas de Fim de Ano
Min: 15º
Max: 26º
Predomínio de Sol
logo ijui news
Multas Multas
Seiko eee

Estratégias Psicopedagógicas para cuidar estresse e ansiedade em crianças nas festas de Fim de Ano

Por Liane Maria Fiorim Comerlato | Neuropsicopedagoga/ Psicopedagoga Clínica e Institucional

Matéria Publicada em: 06/12/2023
Liane Maria Fiorim Comerlato | Neuropsicopedagoga/ Psicopedagoga Clínica e Institucional

As festas de fim de ano, podem representar uma época de alegria e de celebração para a humanidade, mas para algumas crianças, esse período pode trazer uma carga importante de estresse e ansiedade. A pressão escolar, as expectativas sociais e as mudanças na rotina podem fazer com que emoções intensas se manifestem.

Existem algumas estratégias psicopedagógicas para ajudar pais e educadores, a apoiarem as crianças neste período, promovendo um ambiente emocionalmente saudável.

Antes de tudo é aconselhável compreender as causas específicas do estresse nas crianças, que podem ser a antecipação de mudanças na rotina, preocupações com o desempenho na escola ou a pressão social para se enquadrar às expectativas festivas. Entender esses anseios é o primeiro passo para que estratégias eficazes sejam desenvolvidas.

Estabelecer uma comunicação aberta, incentivando as crianças a expressarem suas emoções e preocupações é essencial. Pais e educadores podem criar um ambiente seguro onde as crianças se sintam à vontade para compartilhar suas experiências, ajudando a identificar fontes específicas de ansiedade.

As mudanças na rotina podem ser desafiadoras para as crianças. Ao introduzir gradualmente elementos festivos na vida delas, como decorações, ou eventos especiais na escola, é possível minimizar o impacto do desconhecido, proporcionando um ambiente mais previsível.

Ajudar as crianças a identificar e praticar estratégias para lidar com o estresse, ensinando habilidades de enfrentamento é fundamental, tais como respiração profunda, expressão artística, e o tempo de relaxamento. Essas habilidades promovem a resiliência emocional.

Lembrar também que o bem-estar emocional está interligado ao físico, então promover hábitos saudáveis como uma boa alimentação, sono adequado e atividade física irá fortalecer a saúde geral das crianças e reduzir os efeitos do estresse.

Ao serem adotadas estratégias psicopedagógicas sensíveis e adaptadas, poderemos ajudar as crianças a enfrentar o estresse e a ansiedade de final de ano, pois o apoio emocional e as habilidades de enfrentamento desenvolvidas neste período não apenas beneficiam o momento presente, mas também contribuem para o crescimento emocional e a resiliência ao longo da vida.

Liane Maria Fiorim Comerlato

Neuropsicopedagoga/ Psicopedagoga Clínica e Institucional

rad d